Google+ Badge

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Acupuntura como especialidade médica

A acupuntura no Brasil, completou em agosto de 2010 quinze anos de reconhecimento oficial, como especialidade médica pelo Conselho Federal de Medicina. O método terapêutico, que se caracteriza pela inserção de agulhas em pontos específicos do corpo, conquistou espaço na área da saúde e hoje, faz parte dos instrumentos da medicina contemporânea para aliviar e tratar diversas disfunções do organismo.
Atualmente é objeto de estudos e pesquisas em renomadas instituições no mundo todo, que, com base em um sólido trabalho científico, comprovam a eficácia e abrangência do método. A Organização Mundial de Saúde (OMS) elabora, desde 1979, uma extensa lista de doenças tratáveis por meio da acupuntura.
No Brasil, a acupuntura alcançou um nível de institucionalização que nenhum outro país do mundo obteve, sendo o único, além da China, onde a acupuntura detém simultaneamente três marcos de destaque:
1. Está implantada, nos serviços públicos de saúde, há mais de 20 anos (desde 1988), onde o SUS ( Sistema Único de Saúde) registra, anualmente, mais de 400 mil atendimentos médicos em acupuntura. Segundo dados do Ministério da Saúde, os atendimentos são realizados principalmente nas Unidades Básicas de Saúde e nos Núcleos de Apoio à Família, além dos hospitais.
2. É reconhecida oficialmente, desde 1995, como especialidade médica pelas instâncias e autoridades competentes do país (Conselho Federal de Medicina, Associação Médica Brasileira e Federação Nacional dos Médicos).
3. Está estabelecida e autorizada, desde 2002, como programa de residência médica pelo Ministério da Educação, em padrões de excelência, com uma carga horária de 5.800 horas distribuídas ao longo de dois anos de intenso aprendizado médico.
O método, que surgiu na China há mais de três mil anos, foi implantado no país na década de 70 e segue ganhando espaço nos maiores e mais conceituados hospitais e centros de saúde do País.
Além das indicações mais conhecidas e tradicionais, como o alívio da dor e inflamação, a prática é recomendada para tratamentos neurológicos, psiquiátricos, ortopédicos, respiratórios, reumatológicos e digestivos, entre outros. É importante salientar que o procedimento deve ser exercido por um médico especializado. Os relatos das complicações e a gravidade dos efeitos adversos, ligados à prática não médica da acupuntura, são extensos e variados, de desmaios e lesões em nervos periféricos até, nos casos mais sérios, óbito do paciente ou graves sequelas.
"A acupuntura é hoje um dos mais importantes instrumentos da medicina contemporânea, com abrangência e eficácia comprovadas através de estudos e pesquisas científicas. O resultado é a crescente demanda pelos pacientes e a expansão do procedimento nas grandes redes hospitalares, públicas e privadas", afirma Dr. Dirceu de Lavôr Sales, médico especializado em acupuntura e presidente do CMBA - Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura, órgão oficial da acupuntura médica no Brasil.
Fonte : CMBA

Nenhum comentário:

Postar um comentário