Google+ Badge

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

COMO PREVENIR E DIAGNOSTICAR A OSTEOPOROSE

A osteoporose pode ser definida como osso poroso e é uma doença que se caracteriza pela baixa densidade do esqueleto, resultante da perda gradual e contínua do cálcio armazenado nos ossos.

A osteoporose é menos comum no homem do que na mulher e atinge principalmente pessoas idosas. Isso porque uma descalcificação óssea acontece naturalmente com o envelhecimento, fazendo com que os ossos percam sua rigidez normal e se tornem menos resistentes a traumas, ficando, por consequência, mais vulneráveis a fraturas, especialmente no colo de fêmur, coluna vertebral e punho.

Segundo dados do IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a população brasileira vem envelhecendo nos últimos anos. A incidência desta doença deve, então, crescer no Brasil. Uma reflexão que vem à tona por ocasião do Dia do Idoso (27 de fevereiro), já que a osteoporose é uma das principais enfermidades que atingem o indivíduo na terceira idade.
"O exame periódico é fundamental para um diagnóstico precoce, pois se trata de uma doença silenciosa. O raio-x é capaz de diagnosticar a redução de densidade óssea, quando cerca de 30% de sua massa já foi perdida, no entanto, a densitometria óssea é o método mais avançado para o diagnóstico da osteoporose, além de ser aplicado na avaliação de possíveis fraturas e monitoramento de tratamentos", explica Dra. Cristiane Mendes, da DASA, que é representada em Mato Grosso pelas marcas Cedic/Cedilab.
Por haver uma maior incidência de osteoporose em mulheres, o exame é indicado, principalmente, para pacientes do sexo feminino, a partir dos 45 anos, que apresentem mais de um fator de risco, como ser branca ou asiática, magra, baixa, ter casos da doença na família e para as mulheres que estejam no período da peri menopausa, principalmente na fase de reposição hormonal.

Há também a indicação para os pacientes que fazem uso abusivo do álcool, cigarro, café e que tenham uma dieta pobre em cálcio. Além dos portadores de hiperparatireoidismo primário, e aqueles que fazem uso prolongado de corticóides por conta de doenças como asma, artrite ou lúpos, bem como qualquer fratura suspeita de osteoporose.

DENSITOMETRIA ÓSSEA
O Cedic realiza em Cuiabá essa modalidade de exame que é fundamental para o sucesso do diagnóstico e tratamento da doença. A densitometria óssea é indolor, dura cerca de 10 a 15 minutos, e o paciente é exposto a uma radiação muito baixa. O diagnóstico realizado pela densitometria não só verifica a densidade óssea do idoso, mas da criança e do adolescente. Além disso, é capaz de avaliar a composição corporal total do indivíduo.
Segundo a Organização Mundial de Saúde, um terço das mulheres brancas com mais de 65 anos são portadoras dessa doença. Nos Estados Unidos a osteoporose é responsável por mais de 1,5 milhões de fraturas por ano. Ainda de acordo com a radiologista Drª Cristiane Mendes, o crescimento da população idosa aumenta a cada dia e, a manter-se esta projeção, considerando-se que as mulheres são mais acometidas pela osteoporose que os homens, teremos nos próximos anos uma paciente osteoporótica em cada quatro mulheres caucasóides. Por isso, a prevenção através da desintometria é decisiva para uma melhor qualidade de vida da população, sobretudo das mulheres que são a parcela mais atingida pela doença.

Nenhum comentário:

Postar um comentário